segunda-feira, 18 de junho de 2018

Desencanto

Para quem vive numa eterna noite
O brilho às vezes é ofuscamento
O sonho calmo, só mais um momento
Anunciando o golpe do açoite.

A ironia reina soberana
No livro fino da vida terrena
A fome é grande e a carne pequena
A riqueza adorna uma carcaça humana.