quarta-feira, 30 de julho de 2014

NOSSA prisão

Pois quantos dias te restam?

É de Talvez e de Quem Sabe
O governo da bússola humana
Que orienta o cego em cativeiro
Perambulando sem direção
No escuro do mistério da prisão
Em que a ignorância e a finitude
São as barras.

terça-feira, 1 de julho de 2014

SEGUNDO CANTO DE UNIÃO

A fonte jorrou.
Jorrará!
A flor não murchou.
Florirá!
E nossa marcha seguirá
Em frente.
E toda força que há
Na gente

Terá por fim um mundo bem melhor.