domingo, 29 de junho de 2014

O TRILHO

O trilho, andarilho
É perdido
É um sopro no ar
É um cuspir no mar
É um sonho sozinho
O trilho, se bem que existe
Consiste em trilhar
Insiste em escapar
O trilho, o rumo, a reta
Este que se arreda
Quando pensas encontrar
O trilho, a meta, o mito
Tanto mentes se queres
Sincero
Dizer que com ele
Ao fim chegará!

domingo, 22 de junho de 2014

QUE VÁ

Larga essa saudade tola e vem me abraçar.
Se o dia escurece sempre, sempre vem raiar,
de manhã cedinho, o sol e o azul do céu...
e eu converso com você, riscando o branco deste meu papel...
e eu que sonho com você mil aventuras como as de um cordel.

Vai, que é hora!
Não há mais
O que temer
Se há porquê
Para o que faz.

Vai, que é hora!
Não pára, não chora
Em vão carpir...
Se for de ir,
Que vá!

domingo, 8 de junho de 2014

sábado, 7 de junho de 2014

AOS MÁRTIRES DO POVO


Meu irmão, tu já fostes tão cedo.
Dá-me um medo de ver se acabar
Tudo o que nesta terra fizeste.
Resumiste tua vida em lutar.

E se hoje seguimos rumando
Estes sonhos que vimos nascendo,
É porque, saiba, cremos num mundo
De esperança e de paz florescendo.

Não morreste. O exemplo nos segue,
Sempre que nossas forças unimos.
E cantamos um canto insistente:
Nosso amor é do que nos munimos!

Esteja conosco, ó mártir e companheiro!

quarta-feira, 4 de junho de 2014

ENSAIANDO CANTAR AS ÁRVORES


Pensando nas tantas árvores, a importância e a história que elas demarcam, em nossos caminhos, no campo ou na cidade, veio-me uma simples estrofe de um poema ainda incompleto. Compartilho-a aqui:

Frondoso pereiro na beira da estrada
Refresco da sombra de um benjamim
No pé de acácia põe-se a rede armada
Na frente de casa perfuma o jasmim...

segunda-feira, 2 de junho de 2014

POEMOPERAÇÃO 2


POEMOPERAÇÃO 3

À operação de poetizar chamei de poemoperação, título de alguns poemas em imagem que irei fazendo de agora em diante. Quem sabe o que dará o conjunto...