quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

DA ANGÚSTIA POR NÃO MAIS TE TER

Essa tua ausência, tão tua
Esse medo de não mais te ter, tão meu
São, juntos, a razão de meu sofrer
Sem rimas
Sem choros
Sem bem-me-queres
Posso te dizer agora
Que estás já longe
Tão longe (e mais presente do que nunca por causa da saudade!)
Que estivemos perto um do outro
Tão perto que não te via
E tanto tempo que te contei como sempre minha
Ao ponto de te desvalorizar tanto quanto o fiz
Tolamente
Simples, como um poema sem rima
Incômodo, como um grito amarrado
De angústia por não mais te ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário