segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

CONSELHOS

Se tu ouvisses conselhos,
ah, se tu ouvisses conselhos...!
Estarias era morto.
Tua natureza teimosa não os assimila.
Nem os conselhos de ti próprio escutas,
seu lamentador de araque!
Não passas,
irremediavelmente,
em tua má-sorte,
de um confuso
cheio de falsas certezas
e de ouvido tampado.
E inda queres sermão?
[de ator, padre, pastor...]
Para que tu queres?
Para exercitar o fluxo entre um ouvido
e outro
no através de águas
tão pouco densas?
Para que tu queres?
Para alimentar
essa tua felicidade egóica
em ser infortunado
e lembrando, pois,
nem que sejas por ti mesmo?

Antes leia um livro,
e se esqueça de espelhos
sermões
e conselhos [que não te servem].
Antes leia um livro,
que não seja dessa autoajuda
incessante
que só te ajuda a ser o mesmo:
um autômato
faminto de sermões
e de hipocrisia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário