quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

A NAU DE ESPERANÇAS CHAMADA VIDA

Encontro e me desencontro
Tudo tão constantemente
Se me encontro, já me perco
Se me perco, sou mais gente
Sou eterno em buscar
Um sentido que me seja
Uma luz a me guiar
Nalgo que por cá eu veja
Nesta nau de esperanças
Chamada vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário