terça-feira, 12 de novembro de 2013

UM QUALQUER

José, um tipo qualquer
Dos que estão por aí
Em esquinas e bares
Morreu noite dessas

Morreu José, morreu
Morreu José, já foi
Morreu José, faria falta
Não fosse um mero
Um simples e qualquer

Nem disse adeus
Nem ninguém sabe
Se mesmo morreu

A quem interessa?
Nem mais a José.

Nenhum comentário:

Postar um comentário