segunda-feira, 4 de novembro de 2013

HORA ERRADA

A flor que murchou
A folha caiu
A água ondulou
O dia saiu
A vista mudou
O homem não viu
Que o dia se foi
Não deu, já partiu
E o tempo
Nem disse:
Adeus!
Nem se despediu
E foi sem deixar
Pra trás
Sinal qualquer
Que queira saber
O que o homem quer
Com tanto correr

Foi-se o tempo
Do dia que não nasceu
Foi-se o tempo
Do que já perdeu
O que virá
Não diz mais nada
Porque a hora errada
Passou por ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário