domingo, 25 de agosto de 2013

LIVRE COMO UM ABRAÇO AO AR

Livre como um abraço ao ar
Quero me sentir assim
Uma vez mais
Teimar.

Arbitrário como uma comparação
Serei meu verso
Serei grito
Canção.

Tudo num só nó
Que se entrança em palavras
Serei aquilo que escrevo
Serei aquilo que temo
E aquilo, claro, que me esqueci.

Tudo num só nó
Serei o que pedistes que fosse
E nem serei tanto o que quis
Mas serei, serei algo
Mesmo quando nada me consumi.

Serei mais que meu medo do nada.
Ao menos espero...

Nenhum comentário:

Postar um comentário