domingo, 18 de agosto de 2013

FALANDO DO QUE GOSTO

Não sei tocar acordes
Nem sei muito cantar
Sou um tanto desafinado
Mas ouso aqui versejar
E nos versos eu me mostro
Como nunca me mostrei
Retratando a nossa sina
Que em tal me atirei
Nesses versos
Que lhe digo
São singelos
Lhe expresso tudo o que
Quis lhe contar
Nesses versos
Mal traçados
Sem ter tanta coesão
Extravaso
Toda tanta emoção
Sincera
O que em gritos
Faltou-me a garganta
Adianta inda tentar
Expor cá nessas linhas
O que vida
Dom de quem vive
Sofrer de quem não quer
Medo de quem não percebe
Ilusão de quem ama
Desgosto de quem odeia
Minha sina
É viver e querer viver mais
Sempre do que a vida dá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário