sábado, 27 de julho de 2013

FALA MATA

Matou-me
a palavra proferida
matou-me
um dedo na ferida
matou-me 
o que não se fez
perdeu-se a vez
de somente calar
matei-me
ao ouvi-la
a palavra
não dita
matei-me
querendo-a
perdida
matei-me
matando-me
por dentro
sem falar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário