quarta-feira, 15 de maio de 2013

FUGIDO

Escondeu-se nalgumas poesias
Nos discursos homéricos
No cancioneiro erudito
Escondeu-se nas obras filosóficas
No resplendor acadêmico
Nos títulos e honrarias
Escondeu-se no vão dos elogios
Nas escadarias egóicas
Nos andares de ouro
Escondeu-se em sua própria imagem
No fim das contas um tolo
De si não se escondeu o medo
E nada restou

Nenhum comentário:

Postar um comentário