sábado, 18 de maio de 2013

DIÁRIO DE PERDAS

O mundo acabou quando nasci.
A proteção expirou quando chorei.
A alegria se descortinou quando sorri.
A ti inteiro inteiramente teu me dei.
Mas hesitei, resmungando, tremelique,
Por que me tiraste, oh vida?!
Restou a lamúria de acompanhar
A lembrança do começo e a esperança
Do fim chegar, o mais cedo possível.
Pois no começo é onde verdadeiramente,
Indubitável e positivamente, estive.

Nenhum comentário:

Postar um comentário