quinta-feira, 14 de março de 2013

RENOVAÇÃO

Renovação sem perdas... Não há!
Acaso já vistes algo se erguer sem mudar?
Renunciei, não poucas vezes
O que outrora já tanto valeu.
O tempo partiu, e no ardil,
Nem a memória susteve...
Corroeu!

E o remorso?
Esse troço?!
Esse sim!
Corroa, tempo!
Renove-o!
Renuncio
Até o fim!

Em que algo nunca mais será o que foi, já sendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário