segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

À ESPERA DE GOTA RALA

A nuvem pressagiou:
Já vem vida lá do céu!
Ligeiro se despencou,
Em água um grande véu.

Animou-se o sertanejo,
Que de boca seca esperava!
Chuva boa! Grande festejo!

BONANÇA, SIMPLES BONANÇA...

Cá neste torrão de mato,
Escondo-me à beira-rio,
À espera de algum sopro,
Sentir uma pitada de frio,
Em meio ao esturricar
Da seca no sertão bravio.

Suponho ainda a bonança,
À brisa que à tarde vem,
Revoar das folhas secas,
Lado a lado com meu bem,
E observo e me acalento,
Co’as belezas que aqui tem.

Ondas cintilantes n’água,
Tem traíra, piaba, assobio,
Passarinhos à ramagem,
Cantam da caatinga o alvadio,
Mata branca, de espinhos,
Beleza em sagrado feitio.

Por patrono tem o galo
De campina, que digo sem
Qualquer medo de errar,
É quem anima o almarjem,
Rubra pluma no pescoço,
Sinal de vida no magrém.

A paz é que toma conta,
Esqueço até o desafio
Que é viver, lutar, correr,
O pescoço sempre a fio
De navalha, da pressão,
Aperreio, ânimo esguio.

E...
Aqui, faço e desfaço,
Somente o que quero,
Refaço, recupero,
Aquilo que, de fato,
Sou e vou ser.

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: CORCAL

Embora de propriedade particular e (relativamente) recentemente construída, demarca a entrada da Palma e a vida de muitos que por lá passaram.

Lá vem o caboclo embranquecido, cansado, ombro doído, depois dum dia de labuta na Corcal. Rosto envolto com uns panos, madeira, poeira, uma quentura infernal! Dura lida, tosse em casa, dor que passa ao ver dos meninos o sorriso no almoço dominical. E se leva a vida, com ou sem tosse...
O sexto da série que visa abordar patrimônios histórico-arquitetônicos de nossa Palma. Arte gráfica de nossa autoria.
Veja também: Capela de Santo Antônio de Pádua, de Araquém / Coluna do Relógio / Igreja Matriz de Coreaú / Igreja de São Francisco / Mercado Público

POR QUE NOSSA PALMA (COREAÚ) NÃO SE DESENVOLVE?

"Atento ao questionamento acima, que infelizmente é uma verdade clara, real e patente desde de outrora dos idos dos anos setenta (ou até antes disso), certamente há uma razão (ou razões) e também um responsável (ou responsáveis).

Vivi até quase os 15 anos na velha Palma quando fui pra capital estudar e realizar meu sonho de ser Engenheiro em 1983, e desde 1984 estou no Norte do Brasil (Amazônia), onde me tornei Advogado em 2001, mas sempre presente na terrinha e torrão de berço.

Antigamente, Coreaú até tinha uma produção considerável com relação a agricultura (milho, feijão, algodão, mandioca etc.), pecuária, extrativismo vegetal (carnaúba), confecções de chapéus, tijolos e telhas etc., sem olvidar da importância do setor comercial. Naquela época, o setor público municipal não tinha tanta representação e/ou interferência na vida econômica do município, a não ser a busca por um emprego de professora para as filhas de algumas famílias para as alunas que terminassem à Escola Normal. Afinal, não era exigido o concurso público. Mas com o passar dos anos e das décadas, a coisa/situação mudou de figura, e digamos assim, se inverteu, e acho que para pior, pelo menos até os dias atuais do ano 2012 do século XXI.

Hoje, Coreaú não produz quase nada e, por isso, não há como gerar empregos, melhoria na renda, qualidade de vida, esperança pro jovens etc., salvo o seu comércio, que sempre merecerá destaque. Não esqueçamos a Educação, que apesar de todo tipo de dificuldade, vem avançando a passos lentos.

No entanto, a medida que aquela produção foi definhando (e a culpada não é a seca do semi-árido que sempre existiu), parte significativa do povo de Coreaú se mal se acostumou a querer e esperar tudo do Poder Público (Municipal, Estadual e Federal). Foi a partir daí que a nossa Prefeitura Municipal tornou-se a "galinha dos ovos de ouro" para resolver ou amenizar os seus problemas e suas necessidades. Mas os recursos são limitados e a cobiça é grande e o Poder Municipal perdeu a capacidade de ser o mentor/motor de alanvancar (junto e com o apoio da iniciativa privada) o crescimento e o desenvolvimento que tanto Coreaú precisa para o bem-comum de sua População.

Tanto é verdade, por ser notório, que há vários anos, o Paço Municipal e a Câmara de Vereadores são muito disputados, e a Prefeitura e Câmara têm servido basicamente a poucos ("os amigos do rei não coroado", por empréstimo). É essa população que há muitos anos, na sua "ignorância política" só tem servido como "massa de manobra" ou "curral eleitoral" para alguns políticos, de 4 em 4 anos, em troca de favores questionáveis e impublicáveis, conforme amplamente divulgado pelos blogues de Coreaú.

O que aconteceu recentemente na montagem da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal só corrobora com o dito aqui. Lamentavelmente, a Casa do Povo parece que não é mais do POVO, e parece ser um "Departamento" a seriviço da Prefeitura, opinião essa em consonância com as de alguns blogueiros de Coreaú. É preciso mudar isso para o bem do Povo, da Democracia e do Estado Democrático de Direito que a população brasileira tanto lutou para obtê-los, pois não é nada salutar o Poder Legislativo "se curvar" ao Executivo, vez que os Poderes são harmônicos e independentes. Quem perde é a População e o Município, que vem marcando o passo há décadas e não sai do canto. É só tentar verificar o que foi feito/realizado nos últimos 20 (vinte) anos (a partir de 1992), por exemplo, e vai verificar que MUITO POUCO ou QUASE NADA foi realizado pelo Poder Municipal em prol do Município e de sua População. Há carência é grande. Mas o FPM chega mensalmente, sem falar nos Convênios. Mas, cadê os bons projetos para Coreaú sair do marasmo, algum candidato apresentou, fez promessas? Portanto, pelo jeito, NADA MUDOU e nem NADA VAI MUDAR, enquanto as cabeças pensantes, cívicas, éticas e conscientes de Coreaú não despertarem do sono profundo de décadas, e quando acordarem, defender com garra e determinação os valores éticos, morais, da cidadania e da dignidade da pessoa humana, aliado a plena liberdade de escolher os seus legítimos representantes para a Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores, para o bem das crianças, jovens, adultos e idosos de nosso velha PALMA. Espero, desejo, rogo e torço que esse dia chegue o mais rápido possível.

Por fim, deixo para cada cidadão de Coreaú - CE, querendo, que tire as suas conclusões com relação ao tema ora discorrido.

PAZ, SAÚDE e PROTEÇÃO A TODOS.

Boas Festas e Feliz Ano Novo de 2013 para Todos."

(COSMO CARVALHO, Engenheiro e Advogado, no Araquém News)

SE ME FIRMO EM MIM, SOMENTE EM MIM... NADA TENHO!

Lacerante verdade perpassa
Minha miudeza assoberbada,
Em notar-me defrontado
Ao redemoinho da imensidão,
Que encobre e recobre
Minha solidão, empedernida,
Neste vaivém do imediato.

Num firmado contrato,
Exposto, consensual,
Dito o que é bom e mau,
Faço segundo meu agrado,
Pisoteio, danço e sapateio,
Ignoro, faço baixo outrem,
Mesmo que tão semelhante,
E adiante, o que será de mim,
Na vastidão do nada?

E a solidão corrói,
Tanto corrói que mata!

(Pintura: O Menino e o Galo, de Floriano Araújo Teixeira)

domingo, 30 de dezembro de 2012

PE. MARCONE, SOBRE NOSSO COMENTÁRIO A RESPEITO DA "NOVA" CÂMARA

Uma lúcida, comovida e gritante mensagem de um jovem que não cansa de ter esperanças de um dia ter uma politica pensada aos moldes de Aristóteles; a atual câmara mostra que não somos ainda uma população madura, mas subserviente; contudo, dos males o menor! Parabéns Benedito, vamos em frente, não percamos as esperanças!

Deste blogue:
A esperança não pode morrer, muito menos a luta teimosa! Pe. Marcone tem se demonstrado coerente em suas defesas em relação a Coreaú, sem hipocrisia! Sempre grato!

SURPRESA NA CÂMARA DE COREAÚ?!

Ainda é surpresa pra alguém que a Câmara já comece a nova administração nas mãos da Situação? Inocência, ilusão ou falta de memória? Os meios subterfúgios duma política ardilosa, comprometida com os interesses egoístas, negociatas, são meandrados, mas muito previsíveis, desde que se recorra a alguma reflexão. 

Tradicionalmente, não se sabe dissociar o papel da Câmara em relação à Prefeitura; pergunte na rua ao povo pra que serve um vereador! A população, em maioria, não sabe! E se sabe, trata de esquecer, em comodismo! Não é à toa que o serviço prestado que os vereadores ostentam diz respeito a “ajudinhas”, favores, isto é, clientelismo puro! A Câmara, ademais, se torna um mero espaço servil da Prefeitura, que pode facilmente ser dominado, desde que se deem os devidos ossos. Como praticar clientelismo, usando a máquina pública, sem estar com ela? Como amarrar famílias através de empregos de confiança, se se está em Oposição à Prefeitura? Como pagar o “investimento” de campanha sem as mesadas, sem o pagamento pela aprovação de ementas de interesse do Executivo? 

O problema é radical, a saber, na raiz. A partir do modo como alguém se elege podemos vislumbrar seu grau de compromisso com a mudança! Se os que lá estão se elegeram das formas mais corrompidas possíveis, sendo o próprio povo apoiador e aplaudidor disso tudo, o que é de se esperar? Que o critério político pra se estar em Situação ou Oposição seja ideológico?!

A política dos coronéis continua aí frente a frente conosco; só quem não quer não vê! E só quem perde é o povo!

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: MERCADO PÚBLICO

O quinto da série que visa abordar patrimônios histórico-arquitetônicos de nossa Palma. Arte gráfica de nossa autoria.
Veja também: Capela de Santo Antônio de Pádua, de Araquém / Coluna do Relógio / Igreja Matriz de Coreaú / Igreja de São Francisco

COREAÚ: ELEIÇÃO NA CÂMARA, TRISTE FIM E PÉSSIMO COMEÇO

"Sentei no meu confessionário para ver as últimas notícias do 'futuro desencarnado'. Pela 'reza do vigário' (Blog Coreausiará) vi que a oração não era assim tão boa... Fui averiguar com outro 'eclesiástico' (Blog RM no Foco) e senti faltar terra nos pés. Esperanças foram levadas na enxurrada de águas poluídas do desencarnado Rio Coreaú. Certa vez disse aqui, sentado nesta cadeira, que tinha receio de que 'a emenda fosse pior que o soneto'. E quando vejo a nuvem negra já pousando na cúpula da Câmara de Vereadores de Coreaú, constato não restar mais dúvidas. O que nos resta então, é dizer: 'Para todos os séculos e séculos, amem!'. Tudo será igual?! O que mudou? Somente a cadeira! Que posso dizer? Bravos jovens coreauenses! Montem em seus cavalos e corram às margens desse pobre rio e bradem por liberdade. Liberdade aos homens, mulheres e crianças desta infâmia Política, que já se perpetuou... Será que um dia veremos uma Câmara REALMENTE representada pelo Povo? Espero que sim... Mas, por enquanto, pelo visto, não teremos 'anos novos' e sim uma réplica do que vem acontecendo desde os tempos da Aroeira. Triste fim e péssimo começo!"

(Carlos Teles)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O VERSÁTIL POETA


Diante de um fenomenal talento, calar é impossível! Sinto-me orgulhoso por ter conhecido, neste ano que se finda, um poeta tão genial, um cronista tão expressivo, um intelectual tão eclético, um conterrâneo tão hábil. O luzir de suas letras assinala a força do seu estro poético. A magnitude de seus versos revela sua capacidade intelectiva. Vejam no seguimento:

"E BRILHARÁ A ESPERANÇA!
Há uma estrela,
E a estrela está
No grito do jovem
Que ousa lutar.
(...)
Só muda o que faz
De sua vida instrumento
Dum projeto maior
Que pensa no outro.
Somos todos um só.

Avante, companheiro!
E traz mais pras lutas.
Tu brilharás ante a terra,
Ao construir nela o sonho
Dum mundo melhor.” 
(Benedito Gomes Rodrigues, domingo, 2 de dezembro de 2012)
 Como um fanal a brilhar na antiga Várzea Grande, agora, resolveu mostrar outra faceta de sua privilegiada inteligência, a formidável tendência para a arte gráfica e quem sabe, mais tarde, venha exibir, também, o singular pendor para as artes plásticas e o manejo harmônico das sete notas musicais. Assim, tornar-se-á um artista completo.

A coleção: "COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO", excelente projeto cultural que vem apresentando no seu blog, além de chamar a atenção para nossos monumentos históricos, nos presenteia com os alinhados traços de arte brotados de sua engenhosa verve.  Atentem tanto para a imagem quanto para o poético texto que se seguem:
"COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: IGREJA MATRIZ"
"(...). Ao entoar dos hinos, já íamos – em escadinha de mãos dadas, roupa nova engomada –, à missa tradicional festejar; tempo sagrado pra comunidade, tempo de se ajuntar. Ao saber da novidade, corríamos ao papai: 'dê-nos uma moeda; há o homem da pipoca, e mais – a roda gigante, tão temida, a girar.' Eita, saudosa festa! Saudosos nós os que sabíamos o que significava o ensejo da novidade e da 'parentaiada' lá, na calçada, celebrando a oportunidade de celebrar." (Benedito Gomes Rodrigues,  terça-feira, 25 de dezembro de 2012).
O imortal Benedito Gomes Rodrigues, o conhecido Ditim, no pleno ardor da juventude, é titular da cadeira nº 03 da Academia Palmense de Letras – APL, memorável agremiação literária surgida em Coreaú no decorrer de 2012. É a força do mérito, impondo o reconhecimento. A APL definiu a sua composição inicial em sete acadêmicos. Este número lembra os Sete Sábios da Antiguidade Clássica: Cleóbulo de Lindos, Sólon de Atenas, Pítaco de Mitilene, Tales de Mileto, Bias de Priene, Quílon de Lacedemónia e Periandro de Corinto. Detalhes são detalhes. O importante é que a velha Palma tem o seu sereníssimo silogeu.

Esse poeta psicólogo ou esse psicólogo poeta faz do seu notável blog um divã, ensejando aos leitores, no deleite de seus versos e de seus textos, um seleto cenário para uma boa catarse. Na magia das letras, o poeta fala de luta, paz, concórdia, coerência, trabalho, partilha, sucesso e coletivismo. Neste contexto, sua produção lírica harmoniza o ser, vivifica a alma e eleva o espírito.

Sobral, 25 de dezembro 2012
Leonardo Pildas

Deste blogue:
Perante o texto acima do grande Pildas, faltam-me as palavras. Não me considero um artista, tento mais ser um militante; talvez a maior arte que queria pra mim seja a humilde atividade, tentar cultivar alguma mudança, e pra isso posso me servir (teimosamente) da arte, pra ficar, inclusive, mais compraz. A Pildas minhas sinceras saudações e meu grande apresso, vista sua contribuição valorosa à nossa terra e sua amabilidade! Vamos, cada um, fazendo cada qual sua parte em prol da querida Palma!

FORTALECIMENTO DA REDE DE JUVENTUDE PARA A CIDADANIA

"Para se ter uma boa rede, para dormir ou descansar, é necessário, primeiramente, muito trabalho... Inicialmente, temos que preparar a terra, aradá-la, fertilizá-la para, só então, plantar uma boa semente de algodão. Depois de todos esses procedimentos ainda é necessária a presença contínua de água para possibilitar a germinação da semente. Em seguida, colhe-se e tecela-se o capucho do algodão. Ai, sim, chega-se ao processo final que é a confecção da rede. Estou fazendo esse breve histórico para compararmos com a existência da 'Rede de Juventude para Cidadania' existente em Coreaú. Li no blog do Ditim que 'essa Rede' promoverá um Curso de Formação de Liderança. Excelente iniciativa! Essas capacitações, juntos aos jovens, são primordiais para a potencialização e fortalecimento dessa Rede.

Descobrir entre esses adolescentes e jovens as suas potencialidades é fomentar a liderança e consequentes mudanças de mentalidade acerca da concepção de Cidadania... E, de uma 'cidadania respeitosa' para com o município. O caminho é esse! Seguir em frente sempre procurando ocupar os espaços vazios deixados pela 'velha política do toma lá, dá cá'. Sabemos que nem sempre colhemos o que plantamos. No entanto, se não iniciarmos todo o processo, jamais alguém colherá frutos. Nem para nós, nem para os outros. A terra sempre necessitará de uma correção do solo para receber boas sementes... E, assim, também é a vida de uma comunidade! A transformação só se concretizará se seus membros se capacitarem com vistas a gerirem sua própria sustentabilidade."

(Carlos Teles)

Deste blogue:
Muito grato pelo apoio, camarada! Essa iniciativa, que se pretende como uma articulação para bem além do território do município de Coreaú, como um veículo regional de promoção de cidadania e fortalecimento das organizações de juventude. O curso é uma atividade central pro ano que vindouro, e a partir dele pretendemos suscitar um fortalecimento dos laços ainda maior.

EM ADENDO AO TEXTO "COMUNIDADE QUILOMBOLA DA TIMBÁUBA", DE ELITON MENESES

O texto "Comunidade Quilombola da Timbaúba", de Eliton Meneses, é fruto de uma visita à comunidade, ontem (27 de dezembro), ocasião em que podemos discutir mais apuradamente os vários percalços que ela tem enfrentado no processo de regularização do território. 

A Timbaúba é um patrimônio mal aproveitado por ambos os municípios (Coreaú e Moraújo), rica culturalmente de tradições, lendas e crenças tantas, como também de uma história de segregação e preconceito no que concerne à população de lá oriunda; talvez o mau aproveitamento advenha de não reconhecer riqueza cultural em rostos negros e historicamente empobrecidos. 

Ainda há resistência nas tradições e na preservação de sua história, mas sem o suficiente apoio do Poder Público tais tradições podem ser fadadas ao esquecimento e a história (predominantemente) oral também. Urge a militância e insistência!

Minhas saudações aos amigos da Associação dos Remanescentes do Quilombo Timbaúba e à Fundação CIS, que tem se esforçado no apoio às lutas da comunidade, as quais são as instituições que mais têm se empenhado na luta pelo seu reconhecimento e regularização, e pela consequente preservação da cultura local e promoção da qualidade de vida da população. Os frutos virão!

COMUNIDADE QUILOMBOLA DA TIMBAÚBA


"(...) la lucha es cruel y es mucha
pero lucha y se desangra
por la fe que lo empecina."
(Uno, Discépolo)

"Como diz a letra do velho tango, a luta popular pelo reconhecimento de seus direitos é cruel e é muita, mas é preciso não desistir, mantendo viva a esperança de vitória em cada batalha. Os remanescentes quilombolas da Timbaúba, no Ceará, retratam muito bem a perseverança na luta pela regularização do seu território.

A comunidade da Timbaúba é formada atualmente por cerca de 160 famílias e ocupa um território de 2.033ha, entre os Municípios de Coreaú e Moraújo. A despeito de já ser reconhecida como remanescente quilombola pela Fundação Palmares, o processo de regularização do território, em trâmite perante o INCRA, caminha a passos lentos, inviabilizando a implementação de vários projetos sociais. O último percalço foi a oposição do DNOCS à inclusão da área às margens do Açude da Volta na demarcação. Assim, o processo, que se encontrava em Brasília, teve de retornar a Fortaleza, ofertando como alternativas a concordância  com a supressão da área do açude, como se não fosse preciso o acesso a uma fonte de água, ou o retorno  de todo o procedimento praticamente à estaca zero.

A comunidade possui basicamente dois núcleos habitacionais: a Timbaúba de Baixo, onde reside a maioria das famílias, às margens do Açude da Volta, no território de Moraújo, e a Timbaúba de Cima, que reúne 16 famílias, já no território de Coreaú, no sopé da Serra da Meruoca, numa área de acesso relativamente difícil. A população sobrevive da agricultura de subsistência e do extrativismo vegetal, notadamente da carnaúba, além de benefícios sociais do Governo Federal. São preservadas tradições como o reisado e o leruá, a crença no curandeirismo e no Candomblé e hábitos como fumar no cacimbo e cozinhar em panela de barro.

A resistência quilombola da Timbaúba conta com poucos aliados e com bastante descaso do Poder Público. A indefinição do processo de regularização do território tem varrido de certo desânimo a comunidade e a tolerância aos apelos do consumo da civilização do homem branco é notória na vila. Ainda assim, a resistência dos Negros da Timbaúba permanece viva, mantendo acesa a chama libertária do velho Sabino, encontrado no alto da Meruoca, e de todos os escravos oriundos da fazenda do senhor Tito e adjacências."

(Eliton Meneses, no Diário de um Navegante)

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: IGREJA DE SÃO FRANCISCO

O quarto da série que visa abordar patrimônios histórico-arquitetônicos de nossa Palma. Arte gráfica de nossa autoria.
Veja também: Capela de Santo Antônio de Pádua, de Araquém / Coluna do Relógio / Igreja Matriz de Coreaú

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

POIS BEM...

"Pois bem 1: Os baianos estão enlutados com a partida da Matriarca Veloso do plano terrestre para o espiritual...  Em entrevista a uma emissora de televisão um repórter perguntou o segredo de sua longevidade ao que ela respondeu: - 'Aceitar os meus filhos como são e aceitar a vida que tenho!'. Essas são características, a meu ver, tipicamente baianas de ver a vida... Um dos exemplos clássicos: ela era amiga íntima de duas pessoas totalmente antagônicas: Antônio Carlos Magalhães e Lula. Não concordo com essa passividade, pois entendo que não devemos acender uma vela para Deus e outra para o Diabo.

Pois bem 2: Nesse ano de 2013 está se iniciando outra Gestão Pública Municipal. Como já é do conhecimento de todos, no meu ponto de vista, não vejo como uma Nova Gestão, já que são os mesmos 'lobos' disfarçados em 'pele de cordeiros' que conseguiram ser eleitos.

Pois bem 3: O trabalho foi concluído ou não concluído no STJ? O povo brasileiro vai acreditar neste poder? Calma! Também não concluí! Senão vejamos: Após muitas análises criminais e jurídicas, chegou-se a conclusão de culpados e inocentes no Processo do Mensalão. Uns têm que pagar multas e cumprir detenção em regime aberto e outros em regime fechado. A questão é que estes 'condenados' são figurões da política brasileira... E a Lei lhes permitem entrar com recursos e mais recursos. Portanto, quem sabe, na próxima década, este drama policial chegue ao fim.

Pois bem 4: Como não poderia deixar de meter o bedelho na questão política da nossa terrinha, pergunto: Qual a postura da Gestão que se inicia em janeiro em relação às obras começadas e não concluídas da fatídica Gestão anterior? A lei de responsabilidade fiscal vai prevalecer? A população vai ter assento à mesa do 'banquete palaciano'? Os cargos públicos serão técnicos ou políticos?

O Governo emana do Povo e este – povo - têm a responsabilidade de fiscalizar e acompanhar as ações da Gestão. Caso não o faça poderá ser bem conivente à Gestão como foi para a anterior.

Pois bem 5: Desejo a todos os participantes e os mentores dos Blog, Coreausiara, RM no Foco e Ditim um próximo ano novo cheio de paz e menos corrupção em nosso País. E que estas tribunas continuem mantendo a imparcialidade nos fatos ocorridos. Sabemos que a nossa opinião não mudará o quadro, mas sem ela é um a menos a gritar."

(Carlos Teles)

Deste blogue:
Sempre grato às contribuições do camarada Carlos Teles! Um excelente ano novo, de luta e conquistas, pra todos nós! Metendo o bedelho no que toca à nova gestão, faz sentindo o que João Teles defende - não existe isso de cargo de confiança sem dedo político; que, ao menos, dentre os "aliados" - ou "ceandos" - sejam escolhidos alguns minimamente capazes e de "boa vontade" para exercer os cargos com alguma competência e responsabilidade. É esperar...

AS NECESSIDADES DO HOMEM

"O professor e sociólogo André Haguete ensina que 'há três conjuntos de necessidades que levam os homens a viver-com-os-outros: (1) as necessidades materiais ou econômicas, (2) as necessidades políticas e (3) as necessidades ideológicas'.

Vê-se que o homem tem sido mais levado a agir visando satisfazer às suas necessidades econômicas em detrimento da honradez, da retidão e da probidade.

Ele vive entorpecido pelo poder, todavia ironicamente acaba sofrendo um vazio existencial, uma depressão psicológica, porque esse poder, que nada mais é do que a vontade de dominar os outros e a própria natureza, é fruto do amor ao dinheiro, ao acúmulo de bens materiais, transformando-o num ente vil, mesquinho, pronto a vender a sua alma, afastando-o do afago familiar, dos bons amigos, do convívio altruísta, do seu Deus, arrastando-o, por conseguinte, a uma solidão profunda, embora em meio a multidões, ou seja, conclui num determinado momento da vida, sobretudo na velhice, 'que toda forma de poder é uma forma de morrer por nada', que o materialismo é uma ilusão e que o verdadeiro sentido da vida consiste em viver com certa qualidade de vida, cuja consistência não é o dinheiro muito, pelo contrário, é viver com saúde, em paz e em harmonia com os outros.

Uma das causas, portanto, da desarmonia entre os povos e as nações, é outro senão, o individualismo, o desejo incontrolável de se ganhar dinheiro, de se acumular riqueza.

Geralmente as pessoas que têm bastante dinheiro guardado, muita riqueza material, não passam de pobretonas de espírito (à exceção de poucas), porque para juntar toda sua fortuna elas vêm lançando, ao longo de suas vidas, mão de ajudar os próprios pais, de olhar para os filhos, os cônjuges, os irmãos de sangue, lembrar dos amigos, enfim, não se importam com ninguém.

Essas mesmas pessoas, caso lhes tirassem o dinheiro (ou se falissem), não passariam de excrementos humanos para um restrito grupo que outrora as admirava."

(Fernando Machado Albuquerque, professor e companheiro de APL)

Deste blogue:
Se tudo o que tiveres fosse
E te deixasse só o amargor
Que criaste para tê-lo
Saberia da triste dor
De ser nada.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

REDE DE JUVENTUDE PARA CIDADANIA

Já foram três as reuniões para definição das temáticas a serem abordadas e a metodologia do Curso de Formação de Jovens Lideranças a ser promovido pela RJC em Janeiro de 2013. Acima uma pequena montagem com alguns dos jovens envolvidos diretamente com esse processo, os que não estão contemplados é por carência de fotos.

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: IGREJA MATRIZ

Quermesse, novena, a família reunida, até o tio Zeca veio nos visitar. Ao entoar dos hinos, já íamos – em escadinha de mãos dadas, roupa nova engomada –, à missa tradicional festejar; tempo sagrado pra comunidade, tempo de se ajuntar. Ao saber da novidade, corríamos ao papai: “dê-nos uma moeda; há o homem da pipoca, e mais – a roda gigante, tão temida, a girar.”. Eita, saudosa festa! Saudosos nós os que sabíamos o que significava o ensejo da novidade e da “parentaiada” lá, na calçada, celebrando a oportunidade de celebrar.

O terceiro da série que visa abordar patrimônios histórico-arquitetônicos de nossa Palma. A arte é de nossa autoria também.  
Veja também: Coreaú, Nosso Patrimônio: Capela de Santo Antônio de Pádua, de Araquém e  Coreaú, Nosso Patrimônio: A Coluna do Relógio

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

UM NATAL DE PAZ, PREÂMBULO DE LUTA!

A paz há de reinar na ceia do tempo novo. Neste tempo, que tu fazes, sobrará justiça e amor. Celebre a vida - o renascer constante - e reerga em ti a cada instante a esperança de que o melhor ainda há de vir, desde que não desistas. Segue adiante!

Feliz Natal!

CELEBRE A VIDA QUE RENASCE!

Em simplória poesia lhes falo, neste tempo de alegria, de anúncio à vida nova que contrói dia a dia. Nascia em Belém, há mais de dois mil anos, um pobre menino que trazia consigo planos de a Boa Nova anunciar: justiça e fraternidade para o povo se libertar de todas as amarras. Esse menino de que trato ergueu sua voz em confronto, contra o dito dos poderosos colocou-se logo de pronto; optando pelos pequenos e pelos oprimidos, fez-se pobre e humilhado também, e foi pregando o bem que entrou para a História. Que o Cristo nos traga a glória de saber lutar! Muita paz e muita luz nos conduzam nesta hora! Amém! Axé! Awerê! Aleluia!

MENSAGEM DE NATAL DE FERNANDO DEDA

Caros amigos e amigas,

A todos vocês que vêm compartilhando comigo ideias interessantes nesses últimos anos, desejo-lhes um feliz Natal e, também, capacidade de mudar para melhor as suas vidas a partir de 2013, de modo que a paz interior e muita saúde sejam uma presença constante no dia-a-dia de cada um.

Um abraço fraternal.

Fernando Machado Albuquerque

Coreaú-CE

sábado, 22 de dezembro de 2012

AQUELE LUGAR

"Rua singela e pequena
Riso de um povo bom
A meninada futrica
Pelos becos grito – som
Oh, tempo bom que se foi
O mais novo me perdoe
Mas era bom ficar com

Aquele lugar tão meu
De produção tão faceira
De chapéu, de rapadura
De uma gente tão festeira
De lagoas bem servidas
De grotas tão bem caídas
De senhora prazenteira!

Um lugar de gente chã
De religiosidade
Do terço que fala alto
Sem um naco de maldade
Da boca e da ladainha
E a tese não é minha
Mas das almas de verdade!

Terra de gente tão sóbria
Que cava, planta e cultiva
Que dá tabefes no tempo
Que beija o filho, incentiva
Que come queijo e beiju
Que não vive jururu
Pela esquina inativa!"

(Prof. João Teles, no Coreausiará)

FUNDADA A NOVA ASSOCIAÇÃO DOS UNIVERSITÁRIOS DE COREAÚ

Hoje, em assembleia geral, foi eleita a Diretoria Executiva e finalmente fundada a Associação dos Universitários de Coreaú (AUC). A maior prioridade, defendida pela sua diretoria, a priori, é a luta pelo transporte universitário de qualidade e obrigatório; ademais, a nova associação pretende atuar no fomento a uma maior interação entre estudantes e sociedade, através da promoção de eventos acadêmicos e culturais, e servir como veículo de fortalecimento da organização juvenil no município.

Acima, os membros eleitos, da esquerda pra direita, Fábio Gomes (2º tesoureiro), Hélio Costa (presidente), Ana Paula Felismino (1ª tesoureira), Gerrio Barbosa (vice-presidente), Xaxandre Pinto (1º secretário) e Jânio Teles (2º secretário) - seguindo uma proporção equânime entre Sede e região de Araquém (03 membros de cada), afim de representar os interesses de ambas as regiões envolvidas no processo de organização.

A nova instituição tem muitos desafios à frente, o principal deles é vencer o desânimo que abate grande parte dos estudantes e fazer valer os direitos dessa classe tão importante e tão mal assistida em nosso município. Bola pra frente!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

DO CHORO, DO PARTO...

Se bem que duvidei de mim mesmo,
E não foi por uma vez qualquer...
Benquisto e malquisto, andei a esmo,
Sem dever contas a homem ou mulher;
Apenas querendo ser honesto
Com minhas próprias convicções.

As convicções levaram-me...
Andei com elas, as fiz crescer.
Mas a maior dor de parto,
Foi delas ter que ceder,
Inúmeras vezes...

Chorei, esperneei...
Não adiantou.
Nada mudou,
Sem antes mudar eu.

E renasci,
Fui renascendo,
E me fazendo,
Assim como estou:
Devir incerto,
Labirinto concreto,
De gozo e pranto,
Metamorfose infinda.

Se me encasulei,
Já o larguei,
O velho inseto de outrora.
“Bora” refazer a vida agora!

Se tu paras, a vida de esvai!

NOSSA MÚSICA: EUGÊNIO LEANDRO

Da verve do limoeirense Eugênio Leandro; nos versos enseja o famoso vento úmido (fenômeno climático sui generis) que acalenta a barra da noite na região de Aracati; um artista com origens fincadas na militância junto aos movimentos sociais e entidades de classe. Confira abaixo:

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO DE LEONARDO PILDAS

A JUBILOSA NOITE DA CRISTANDADE

“Brilha no Oriente a brilhante estrela, anunciando a Boa Nova!” 

“BUSCAI O SENHOR, JÁ QUE ELE SE DEIXA ENCONTRAR; INVOCAI-O, JÁ QUE ESTÁ PERTO.” (IS 55,6)
Arte de Benedito Gomes Rodrigues – Publicada no Blog do Ditim, edição de 18 de dezembro de 2012.
Impulsionado pela beleza do tempo natalino, cumprimento os que fazem o cultural Blog do Ditim: Moderador, Colaboradores e Leitores. Fincado na fé e na esperança, desejo a todos,

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO
2012 – 2013

FORTALEZA, 19 DE DEZEMBRO DE 2012.
LEONARDO PILDAS

FUTEBOL E ALIENAÇÃO: EM QUE ÂMBITO UM SE RELACIONA COM O OUTRO?

Pra jogar limpo com vocês, leitores e comentadores de plantão, em matéria de futebol não sou do time do contra; e não falo isso querendo evitar ou driblar um cartão vermelho de populares num país de cultura tão “futebolizada”, que é o Brasil – demonstração disso são nossas expressões idiomáticas, como as que usei agora, repletas de temos oriundos do futebol.

Como prática esportiva, o futebol é, sem sombra de dúvida, uma das mais dinâmicas e admiráveis, requerendo resistência e perícia dos jogadores, bem como o entrosamento do grupo; além disso, existe todo um âmbito tático e estratégico que o perpassa; portanto, e por muito mais, futebol não é algo “fácil”, sobretudo quando se fala do status de arte que alguns conseguem atribuir a ele, com os toques de peraltice e aprimoramento da técnica.

Digo isso pra argumentar a favor do futebol como uma atividade interessante e necessária, em certo ponto, enquanto esporte - hoje, mais do que nunca, devemos ter ciência que não há saúde sem atividade física regular e sem lazer ou ócio. Ora, não é porque não levo jeito ao praticá-lo que irei desqualificá-lo.
Entretanto, como nem tudo são flores, não poderia deixar de tecer críticas às implicações culturais do futebol, oriundas duma lógica capitalista dominante, de mercantilização da vida, do esporte, do entretenimento, do lazer, do tempo etc.

Pra tratar disso, usarei de dois tópicos, tentando ser ao máximo claro e sucinto em minhas assertivas (críticas):
  1. O critério pra escolha entre torcer ou não pra um time é absolutamente arbitrário; pra saber, tente recordar da ocasião em que escolheu o seu time, e verá que foi, provavelmente, por alguma razão afetiva ou impulsiva (até mesmo “herança”); não havendo, porquanto, uma justifica no âmbito de argumentos logicamente válidos pra escolha. Vai me dizer que ponderou todos os aspectos táticos e históricos (dentre outros) possíveis entre as diversas opções pra escolher o time que você torce? Se fez isso, saiba que você é membro de uma imensa minoria! Então, por que brigar por um determinado time em detrimento de outro? Faz sentido as agressões entre torcidas organizadas, intrigas, discussões levadas a sério por conta de torcida de time? São meras expressões das paixões humanas, encontrando um meio de extravarem, de formas grotescas, como radicalmente são. Isso é muito distinto de questões políticas, que podem e devem ser argumentadas e ponderadas, pois delas dependem efetivamente os rumos públicos de dado local.
  2. Você já reparou como os grandes times de futebol de hoje se comportam como verdadeiras empresas? É justamente porque são empresas: empresas publicitárias de si e de outras empresas, empresas que comercializam pessoas (os jogadores, técnicos, assistentes...) e ganham fama e dinheiro com títulos! São empresas que estabelecem uma relação comercial com a mídia, que as promove, e que vêm perpassadas de uma lógica comercial, de entretenimento; elas se vendem a você, que as consome, “fugindo” do mundo (isto é, o mesmo que se alienando, num sentido marxista e pra além dele) ao ficar vidrado na TV ou ir a um estádio qualquer e “morrer” pelo time. E, como são hegemônicos (isto é, eles é que mandam), têm uma série de privilégios; veja-se as obras da Copa, passam por cima de licitação, do povo que reside na região etc., ademais a Fifa (a empresa maior) é repleta de “incentivos”, quero dizer, a Fifa tudo pode, e quem mais ganha com uma copa em lucro é ela. Quer negócio mais lucrativo que futebol?! Quer ser massa de manobra dos dirigentes de time e de toda a roda econômica que o futebol comercial movimenta?
São esses dois pontos que abordo, por ora, como suscitadores de reflexão e possível debate. O futebol é algo interessante, mas que pode ser usado de forma perversa. Cabe a você, que não quer ser usado ou manipulado, usar do atributo de sua inteligência pra bem analisar.

Quanto ao texto de Hélio Costa, ainda, sobre a questão dos estereótipos “Brasil, o País do Futebol” e “Brasil, o País da Corrupção”, aquele decorre de um reducionismo de nosso país a essa prática (é a visão que os EUA têm da gente, juntamente à Amazônia, praia, mulheres “gostosas” de biquíni, carnaval, dentre outros), este pode ter relação com a chamada “Síndrome de Vira-Lata”, que apregoa que tudo de ruim e de atraso é do Brasil, em relação aos ditos países de “Primeiro Mundo”; o ser humano é corruptível, e em todas as instituições humanas essa corrupção se apresenta – não que queira eu legitimar a corrupção, muito pelo contrário, cabe a nós fiscalizar para evitar ao máximo tal malogro. Não há qualquer relação entre o talento do brasileiro no futebol e a corrupção; agora, no que toca à venda do futebol e utilização dele como veículo de alienação pela máquina do capital (e foi nesse sentido que entendi o texto do camarada), cabe ressalvas, do tipo: tire a cara da TV e veja o quanto o mundo depende de sua ação! Não se deixe ser dominado!

Seria mais ou menos isso que teria a dizer sobre a questão...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: A COLUNA DO RELÓGIO

Às badaladas, vivi, em festejos amiúde, minha primeira namorada, no banco daquela praça. Ora, quis e não pude cá segurar a saudosa vontade, que vem e não passa, da tal badalada de novo escutar. O velho relógio, suntuoso e cabreiro, esteve por lá, presente inteiro, a me acompanhar. Tu és, relógio, parte inexorável de mim!

O segundo da série que visa abordar patrimônios histórico-arquitetônicos de nossa Palma. A arte é de nossa autoria também.  
Veja também: Coreaú, Nosso Patrimônio: Capela de Santo Antônio de Pádua, de Araquém

NOSSA MÚSICA - DONA ZEFINHA

De Itapipoca (CE) para o mundo, a companhia Dona Zefinha mistura em suas composições música, teatro e dança, tudo partindo da cultura popular brasileira. Uma música com estilo sui generis, que cativa público e crítica, por sua riqueza em termos artísticos. Confira abaixo a Ciranda do Mar:

CAMARADA TRILHA...

Estás em trilha. Olhe pra ela!
É longa, calcada por teus pés.
Faça ora, pois, de cada passo:
Novo rumo, um traço de amor!
Não amor qualquer...
É amor fraterno, de doação!
Siga em frente. Estenda a mão
Ao futuro que tu fazes já agora.
Então, tu serás outra, renovada,
Ao amar-te e à caminhada,
Que te faz cada vez mais.

Quero ter-te, aqui, neste caminho,
Como camarada, pra vida semear,
Regada a afeto e esperança.

A CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 E O VETO

"É flagrante o descumprimento da nossa Constituição pelo Congresso Nacional, senão vejamos: preleciona o art. 66 'O projeto de lei aprovado por uma Casa será revisto pela outra, em um só turno de discussão e votação, e enviado à sanção ou promulgação, se a Casa revisora o aprovar, ou arquivado, se o rejeitar' e em seus parágrafos 1º 'Se o Presidente da República considerar o projeto, no todo ou em parte, inconstitucional ou contrário ao interesse público, vetá-lo-á total ou parcialmente, no prazo de quinze dias úteis, contados da data do recebimento, e comunicará, dentro de quarenta e oito horas, ao Presidente do Senado Federal os motivos do veto.', 4º 'O veto será apreciado em sessão conjunta, dentro de trinta dias a contar de seu recebimento, só podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores, em escrutínio secreto.' e 6º 'Esgotado sem deliberação o prazo estabelecido no § 4º, o veto será colocado na ordem do dia da sessão imediata, sobrestadas as demais proposições, até sua votação final.'.

O ministro do STF, Luiz Fux, sustou a análise, em caráter de urgência, da deliberação sobre veto da presidente Dilma Rousseff no art. 3º da lei dos royalties do petróleo. Argumentou o ministro que tal veto não poderia ser analisado, pois há mais de 3 mil vetos pendentes de análise no Congresso. Veja a inconstitucionalidade: a análise do veto deve ser feita pelo Congresso no prazo de trinta dias (artigo acima transcrito), passando esse prazo sem a análise, a pauta deverá ser trancada (artigo acima transcrito). Se tem mais de 3 mil vetos para análise por que ainda não trancou a pauta? Seria possível a presidente apresentar 3 mil vetos no prazo máximo de 30 dias? Logo vemos que esses vetos já estão a mais de 30 dias no congresso e a pauta ainda não teria sido trancada, isso é totalmente inconstitucional. Um poder extremamente importante como o Legislativo descumprindo a constituição, isso não implica crimes de responsabilidade do presidente do Congresso Nacional?"

(Aprígio Teles, Agente de Trânsito e acadêmico de Direito)

BRASIL O PAÍS DO FUTEBOL, BRASIL O PAÍS DA CORRUPÇÃO - POR HÉLIO COSTA

"Brasil, o País do Futebol", "Brasil, o País da Corrupção". Não seria a primeira a causa e a segunda a consequência? Ou seja, o desinteresse pela prática política (ocasionado pela atenção demasiada dos indivíduos a coisas como o futebol, por exemplo) não origina problemas como a corrupção?

Pois, observe comigo, se os indivíduos amassem a política como amam o futebol certamente estaríamos numa outra situação. Não falo do conceito de política deturpado pelo senso comum, sendo aquela praticada a cada dois anos (na maioria das vezes estruturada por práticas politiqueiras), mas sim aquela que necessita da participação efetiva dos indivíduos objetivando a conquista do bem comum. A política de que eu falo está intimamente relacionada à política praticada pela civilização grega em suas Ágoras, praças públicas onde ocorriam reuniões nas quais discutiam assuntos ligados à vida da cidade.
“(...) A política influencia em toda nossa vida, pois ela não está relacionada só com partidos e eleições. Política é, acima de tudo, a arte ou a ciência de bem cuidar e organizar a vida em sociedade, para que todas as pessoas possam viver dignamente, com liberdade e felicidade.” (Roberto Iunskovski – Missão Jovem). 
Muitos matam e morrem para defender o time que amam, além disso, vão às ruas, gritam, entram em confronto. Outros vendem o carro ou pedem demissão do emprego. Em programas de TV alguns indivíduos ultrapassam sua racionalidade beijando animais ou então comendo cocô de criança, tudo isso para ter a oportunidade de assistir ao jogo do time que tanto ama.

Desde crianças estes indivíduos são socializados por seus pais e pela sociedade a gostar de futebol e a participar ativamente deste, chegando ao ponto de praticar certas loucuras. Não é raro assistir cenas mostradas pelos meios de comunicação com crianças chorando por que seu time em algum jogo não se saiu vitorioso, outras dão risadas apenas quando seus pais falam no nome de seu time (no caso o time dos pais e não da própria criança).

Com base no contexto abro uma indagação: Na realidade atual em que vivemos qual a porcentagem da população brasileira que faria isso em prol da política? Quase zero, mas sempre tem uns gatos pingados.

Não estou aqui querendo dizer que para o Brasil ou o mundo ficar melhor as pessoas devam praticar essas barbaridades pela política, mas sim que elas deem mais valor a esta, assim como dão valor a coisas desnecessárias, a exemplo, o futebol (não estou querendo dizer que o indivíduo não deva ter um time para torcer, é certo que todos nós precisamos de diversão, mas falo da paixão exorbitante que não traz nada produtivo para si, nem para sociedade, mas sim apenas prazeres momentâneos e muito dinheiro para o bolso de uma minoria). Não quero dizer também que os indivíduos devam efetivar as praticas citadas acima pela política, mas sim irem às ruas fazer protestos em prol da sociedade ou então fazer isso por meio das mídias sociais, irem às câmaras concordar e/ou discordar dos assuntos que são debatidos por lá, criarem projetos populares (é certo que há uma imensa dificuldade, reconheço, mas não é impossível), etc. É isso que os indivíduos deveriam fazer caso amassem a política como amam o futebol.

É muito importante ser observado que o esporte é apenas um exemplo, não descartando a possibilidade de haverem mais coisas desnecessárias.

(Hélio Costa, no AraquémNews)

Deste blogue:
Não que o esporte seja desnecessário, muito pelo contrário. No entanto, o que vemos é uma mercantilização do esporte, do lazer, do tempo livre..., que torna um time de futebol e uma competição esportiva qualquer mais do que deveria ser - a saber, uma ocasião festiva e de confraternização -, para vir à tona um fetiche, a idolatria, fanatismo e animalização. De fato, se o brasileiro gastasse metade da atenção que emprega ao futebol em questões de interesse comum, poderíamos ter muito mais avanços sociais.

OLHEM AS COISAS MELHORANDO...

"Li no blog do Ditim que os jovens de Ubaúna estão se mobilizando para a formação de uma Associação. Vejo que o movimento que teve inicio no Araquém já atravessou a ponte e chegou nos limites de Coreaú. Tenho postado através desta “tribuna” que o caminho para uma socialização politica e social de Coreaú seria o envolvimento da força jovem, pois até já arrancaram aroeira e não foi suficiente para melhorar a maneira de fazer politica... Ainda temos muitos currais eleitorais no município. Felizmente, está se encerrando mais um ciclo. O ciclo da politica não participativa. E, a partir do próximo mês, teremos mais um ciclo se iniciando. Pena não podermos dizer tratar-se de um NOVO CICLO pois os atores desta trama política já são velhos conhecidos deste picadeiro.

A teia da força jovem está se espalhando, esperamos que chegue até o paço municipal. O passado serve para corrigirmos os erros que poderão ser cometidos no futuro. A palavra oração significa orar e ter ação. Ressalto isso pelo motivo de não bastar, em minha opinião, formar Associações. Os atores têm que estar presentes e vigilantes na Gestão que se inicia. Caso isso não ocorra, Coreaú vai continuar sendo manipulado pelas velhas raposas e, mais uma vez, as políticas públicas deixarão de ser prioridade de gestão. Fico torcendo para que a Gestão que se inicia seja o primeiro degrau trilhado na ascensão do nosso Coreaú."

(Carlos Teles)

Do blogue: 
Certamente, não haverá qualquer mudança efetiva sem que a população apresente suas demandas de forma organizada, e associação é um dos veículos institucionalizados que podem contribuir.

Em Coreaú temos uma infinidade de associações desativadas, ou ativas somente perante o cadastro na Receita, porém, muito mais do que CNPJ, requer-se mobilização e disposição. "Bora" propor e cobrar!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

COREAÚ, NOSSO PATRIMÔNIO: CAPELA DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA, DE ARAQUÉM

1º da série. Arte nossa.

JOVENS DE UBAÚNA CRIAM ASSOCIAÇÃO

Enquanto a Sede de Coreaú e região de Araquém se mobilizam para a recriação da Associação dos Universitários de Coreaú (AUC), jovens de Ubaúna, por sua vez, já soergueram uma nova entidade: a Associação Ubaunense dos Jovens e Estudantes em Ação (AUJEA). A instituição nasce se propondo a “conscientizar os jovens de sua responsabilidade social” frente à construção do futuro, num sentido amplo (perpassando o Esporte, Geração de Emprego e Renda, Cultura, Educação e Saúde), tendo como foro de atuação e representação o referido distrito.
Logomarca da AUJEA. Fonte: Facebook
Ao nos depararmos com o estado atual de abandono desse que é maior distrito de Coreaú, já gera algum ânimo saber de jovens dispostos a contribuir de alguma forma com sua comunidade. Que seja uma associação minimamente autônoma, para que assim possa cumprir a função proposta, a despeito de interesses puramente partidários. No mais: avante, juventude!

CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA DOS ESTUDANTES DE COREAÚ

A Associação dos Universitários de Coreaú - AUC, de acordo com seu estatuto, convoca todos os estudantes universitários de Coreaú para uma assembleia geral que será realizada no dia 22 de Dezembro de 2012 às 15h00 na Escola Vilebaldo Aguiar, localizada na Av. Cel. Antonio Teles, onde estarão em pauta os seguintes assuntos:
1 - Eleição da Diretoria Executiva
2 - Outros assuntos dos interesses dos universitários

Comissão Eleitoral:
Fernanda Karla
Hernando Lima
Joaquim Cavalcante
Valdecir Ximenes
Rômulo Teles

sábado, 15 de dezembro de 2012

APL EM FORTALEZA: ENTUSIASMO E PROFUSÃO DE PROPOSTAS

Neste sábado (15/12), na EMEIF Maria Bezerra Quevedo, em Fortaleza, sede do projeto Confraria da Leitura, ocorreu a primeira reunião com a presença de todos os membros da atual composição da APL (Academia Palmense de Letras) – Manuel de Jesus, Eliton Meneses, eu (Benedito Gomes Rodrigues), João Teles, Fernando Machado e Galba Gomes –, e ainda, prestigiando-nos, o apoiador, economista e poeta, natural de Sobral, Gilmar Paiva.

Para a recepção dos convidados, os confrades (como são chamados alunos participantes do projeto) organizaram uma pequena apresentação de dança e dois programas da Rádio Treme-Treme – “a rádio que faz você tremer de emoção”, nas palavras dos inventivos locutores -, uma amostra da metodologia de trabalho do projeto que, através de atividades lúdicas e diálogo, consegue atrair as crianças para o mundo das letras.
Alunos do Confraria agradecendo após a apresentação.
Durante uma rica discussão, vários apontamentos foram dados acerca dos rumos da hodierna agremiação, dentre os quais os principais foram:
  • O papel da APL de vasculhar as diferentes manifestações culturais de Coreaú e buscar criar meios de dar visibilidade aos artistas que desenvolvem tais atividades;
  • O viés não partidário da entidade, embora seja reservado o direito dos membros individualmente terem seus posicionamentos partidários;
  • A possibilidade de membros correspondentes que, mesmo distantes fisicamente, possam colaborar e, ainda, a não delimitação de um teto máximo de membros;
  • A APL pretende transcender a esfera da oficialidade, da institucionalidade burocratizada em cartório, como uma instituição social de viés da arte, naturalmente expressão de liberdade, visando também à posteridade com a valorização de nosso legado cultural;
  • O entendimento de cultura, para a agremiação, como algo muito mais abrangente que a escrita, estando aberto o ingresso a músicos, pintores etc.;
  • A APL tem um dever ético de intervir em questões que aviltem a dignidade e história de nossa terra (Coreaú).
Membros atuais da APL. Montagem feita a partir de fotos da reunião ora tratada.
Ainda foi discutida a criação dum blogue específico da agremiação para divulgação de produções dos membros, parceiros e demais matérias concernentes à cultura coreauense, o estatuto da entidade, além das propostas de organização de uma feira literária, um concurso literário para os estudantes de Coreaú, confecção de um jornal ou revista periódico, o apoio e organização de produções bibliográficas, bem como iniciativas de implantação de acervo de produções coreauenses para acesso da população, a serem efetivas com o desenrolar da iniciativa e à medida da viabilidade.

Depois da profusão de ideias, discussões e encaminhamentos, houve a distribuição de blusas com a logomarca da APL, sob chancela de Eliton Meneses; a reunião concluiu-se num restaurante do Mondubim, de forma festiva e aconchegante. 

MODELO? NEM PRA SI!


"Que modelo de Estado estúpido implantaram através dos tempos os Estados Unidos? Posam de xerifes, que podem fabricar bombas e armas mortíferas de toda natureza e com a arrogância que só eles podem fabricar. Invadem países, lançam napalm, bomba atômica... Se acham os donos do mundo e construíram uma nação violenta, composta de neuróticos vítimas das guerras sem causa. Este modelo político é periculoso e não deve servir de exemplo. O tributo que os americanos irão pagar ainda estar por começar. Este modelo não serve para nós brasileiros ou para qualquer outro povo amante da paz e da solidariedade. É grave a humanidade estar refém de um poder belicista hegemônico, consumista com base no desperdício. De forma isenta quem oferece mais perigo ao futuro da humanidade: Os EUA, a Coreia do Norte, a China, a Venezuela, o Afeganistão? Confesso que temo muito os 'primos ricos do norte'. E não descarto que eles num futuro se autodestruirão. O modelo deles nem para eles serve!"

  (Galba Gomes, no Blogue Coreausiará)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

FORÇA DOM PEDRO CASALDÁLIGA!

Estando ao lado do povo oprimido, Dom Pedro Casaldáliga, ora ameaçado de morte, lançou em forma de poesia sua resposta:

"Eu morrerei de pé como as árvores.
Me matarão de pé.
O sol, como testemunha maior, porá seu lacre
sobre meu corpo duplamente ungido”.

Força Pedro!

AINDA NIEMEYER, DE LATUF...


PRO LUA!

Uma luz reluziu mais forte no dia de Santa Luzia; era a vez em que nascia um caboclo destinado a animar com seu baião danado o Brasil inteiro, mostrando nosso sertão. De música boa tinha cheia mão, um trio então composto, a zabumba e o triângulo, com o trovejar do acordeom.  Traz, Gonzaga, um punhado dessa alegria pra nós! Ainda é dia pra te ouvir!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

UM TAPA DA VIDA!

Com ou sem versos, proseio e torço a goela, pensando a vida e os meandros que há nela. Tão dolorida vida, e tão gozosa! Tu que és agonia perdida, obra glamourosa, vem e, profundamente, tapeia-me com tua intensidade. Quero sentir de verdade tudo o que tu tens a me oferecer, pois o suor e o sangue não hão de enrijecer meus ideais! Mas, oh vida, traga-me luta, sentida pulsação. Quero conscientizar-me da contradição e com ela pelejar. Senão, ei de esquecer-me que sou sujeito fincado, enraizado no barro da realidade, e que em tal está meu devir, meu dever, minha razão. Quero erguer a mão e mudar, construir, ativar algo novo, experimentar a criação!

COISARAL

Já olhou pra si e viu as coisas aderidas a você? Quanto se espelhou nas coisas? E quanto se esmerou para tê-las, valorizou-as, fantasiou com elas? O quanto as coisas fazem parte de você? Já viu sua blusa, calça, sapato, relógio, sua bolsa, carteira, celular...? Veja bem: sua. Assim como se diz “seu braço”, “sua perna”, “sua mão”... Será que você também é coisa? Será que quer ser?

As coisas diuturnamente lhe acompanham. O ser humano é um ser de coisas, de coisas idiossincráticas, coisas supérfluas, invenções, demasias... De coisas por coisas. O ser se imprime nas coisas, e as coisas despertam o latente sentido. As coisas têm valor, têm preço, têm custo, têm tempo...  As coisas lhe têm.

Se as coisas nasceram pra nós, hoje vivemos pras coisas. Vamos e voltamos atrás delas... Vivemos a partir delas, elas se incorporam a nós, e podemos viver pra elas. Não será que você vive em função das coisas que quer ter, que quer mostrar, que quer trocar (talvez por afeto, reconhecimento ou poder)? Mas já pensou no que pode haver além das coisas? Que coisa será essa?

E você, quando coisificou o outro? Quando quis lhe comprar, descartar, chutar...? Doeu ser tratado como coisa? E quando você se for, que coisa vai deixar? Que coisa vai levar? Que coisa será você? E por que o final das coisas tem que ser lixo? Se o ser humano é um ser de coisas, na mesma medida é um ser de lixo... Seu lixo é sua cara! Suas coisas são você! E o quanto você quer se apegar a esse coisaral!? Vá além das coisas, senão as coisas vão além de você!

AUDIÊNCIA PÚBLICA EM COREAÚ SOBRE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Nesta segunda-feira (10/12), ocorreu no Centro Pastoral Santa Clara de Assis (Coreaú - CE) uma Audiência Pública para discutir o abastecimento de água de Coreaú e Moraújo, realizada pela Comissão de Desenvolvimento Regional, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa do Ceará, a pedido do Comitê de Bacia Hidrográfica do Coreaú (CBH-Coreaú), na pessoa de seu presidente Benedito Francisco Moreira Lourenço (Fundação CIS).
Público presente na Audiência Pública.
Os dois municípios citados têm recebido abastecimento de água do Açude Várzea da Volta, foco de diversos problemas, dentre os quais cabe destaque a poluição oriunda dos arruamentos às suas margens, com dejetos de porcos e esgotamento doméstico, eutrofização, sobretudo, e com a Seca, teve seu nível drasticamente reduzido a apenas 23% de sua capacidade de armazenamento, implicando avançado estado de turbidez. Resta a dúvida sobre até quando o açude dará conta da demanda.

O evento contou com o Deputado Sérgio Aguiar (PSB), presidindo-o, representantes da Cogerh, CBH-Coreaú, Dnocs, Cagece, prefeitos eleitos de Coreaú e Moraújo (Érika Cristino e Jurandir Fonteles, respectivamente), vereadores de Coreaú, Moraújo e Frecherinha, representantes da Sociedade Civil de Mucambo, Coreaú e Moraújo.

Mesa se abertura. Clique para ampliar.



Como forma de prevenir o colapso do Várzea da Volta, a saída apresentada, a longo prazo, foi a implantação de uma adutora trazendo a água do Açude Angicos seguindo o trajeto da nova CE-240, que liga Coreaú e Arapá, para abastecer Coreaú e Moraújo; o projeto já tramita nas instâncias do Governo do Estado. Em curto prazo, caso as chuvas não venham a tempo, duas ações foram propostas: a primeira é a instalação de um sistema de filtros mais eficiente (a Cagece afirma já estar providenciando), que permite prolongar a retirada de água do açude; a segunda, apresentada pelo CBH-Coreaú, após intenso debate, é a de, caso a Seca prossiga, direcionar a água da parte perenizada do Rio Coreaú, à altura da localidade de Paris (entre Coreaú e Moraújo), para ser tratada e distribuída da Várzea da Volta ao sistema de abastecimento nos municípios.

As fotos apresentadas foram gentilmente cedidas pela Fundação CIS.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

AUTODEFINIÇÃO: OSCAR NIEMEYER

"Na folha branca de papel faço o meu risco / Retas e curvas entrelaçadas. / E prossigo atento e tudo arrisco / na procura das formas desejadas. / São templos e palácios soltos pelo ar, / pássaros alados, o que você quiser. / Mas se os olhar um pouco devagar, / encontrará, em todos, os encantos da mulher. / Deixo de lado o sonho que sonhava. / A miséria do mundo me revolta. / Quero pouco, muito pouco, quase nada. / A arquitetura que faço não importa. / O que eu quero é a pobreza superada, / a vida mais feliz, a pátria mais amada."

(Citado por Frei Betto)

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

DÁ-NOS VIDA, MÃE-ÁGUA!

A água,
Antes farta,
Quando em falta, 
Racha a terra 
E o pé do sertanejo,
O mesmo que, 
Em peleja amiúde,
Vai com o jegue,
Magro, cansado...,
Atrás de escapar,
Nalguma poça,
Perdida por aí.

Oh água! 
Tu que és benção 
E redenção, 
Fertiliza a terra 
E o coração
De minha gente! 
Vem e cai,
Bem de repente,
Pra vida reanimar! 
Pra mode ver:
Campina verde, 
Gado farto a pastar.

Oh água!
Perdoe-nos por atacar
Teus nascedouros,
Teus rios, riachos,
Até foz e o mar.
Tem pena da ignorância.
Dá chance de redimir
O erro de agora,
Pra poder construir
Uma nova aurora,
De mais zelo pra ti.

Axé, amém, mãe água!

(Pintura da potiguar Alice Brandão)

LAÇANDO O EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS UNIVERSITÁRIOS DE COREAÚ

A Comissão Eleitoral Provisória, composta pelos estudantes Fernanda Karla, Hernando Lima, Joaquim Cavalcante, Rômulo Teles e Valdecir Ximenes, escolhida com a finalidade de conduzir o processo seletivo para a Diretoria Executiva da nova Associação dos Universitários de Coreaú, laçou o edital que estabelece como se dará a eleição. Confira abaixo:


O SANGUE NÃO SERÁ PERDIDO

O sonho não morrera com Virgilio.
Seu corpo estirado, ora banhado,
Em dor, rubor do sangue perdido, 
Virara símbolo forte de resistência.

Já vinham Ricardo, José e Florência,
Com a rede para levá-lo em marcha,
Marcha de retirada, má caminhada...
Rostos tristes, escoltados, castrados...

Lá, a dor profunda de perder a terra,
Em batalha findada, fim maltrapilho.
E Dona Iná, coitada, sem seu filho,
Desmanchando-se em mau pranto.

Tanto Virgilio fizera naquele canto,
Em prol dum uno ideal de libertação.
Não haveriam de deixar ser em vão.
Inda resistiriam, ante sua história!

Feito bichos, enxotados, humilhados...
Pra onde ir? Donde eles são mesmo?
Ora, a cerca impôs: “Deixe-os a esmo!
Se for gente, não importa! Partam!”

E partiram... Mas não morreram!
E o sangue perdido nutre o espírito:
De luta, de teimosia e de justiça.

(Pintura de Inimá de Paula)

domingo, 9 de dezembro de 2012

CARIMBADO E ASSINADO (II)

ACORDA, COREAÚ!

Coreaú precisa se inserir na vida do Estado com um calendário de eventos consistente de realizações, como feira de livros, encontros sobre educação, festival de música (Camocim, Meruoca e Viçosa do Ceará são bons exemplos!) e de formação de pessoal, etc! O município precisa descobrir sua vocação. Chega de marasmo, num município que vive a reboque de territórios vizinhos (são porque lembrei logo de Sobral. Ih!), quando deveria quebrar essa sina. Mas como fazer isso, se nem sua capacidade agrícola é robustecida? Falta determinação, denodo, planejamento, competência,... Faltam lideranças fortes, que tenham condições, por exemplo, de arrastar pra lá as indústrias que já ocupam muitos espaços no interior do Estado! E não é rodeado de embustes, em forma de liderança, que se vai chegar a isso! Aqueles que ocupam a boca do povo por "se venderem" em épocas eleitorais estão por perto? Chamem o Ronda!

João Teles de Aguiar
Educador

ACORDA, COREAÚ II!

Há tanto o que fazer que é natural que se tenha alguma paciência para que os resultados dos projetos apareçam. Os resultados, ressalte-se; porque as iniciativas devem ser imediatas, observadas as possibilidades orçamentárias, visto que as diretrizes já estão no plano de governo apresentado durante as eleições. Espero, sinceramente, que não se incorra no mesmo erro de há quase 20 anos atrás, priorizando-se a construção de obras de aformoseamento e olvidando-se da adoção de medidas tendentes à criação e à distribuição de renda no município, que tem na miséria o seu maior flagelo. É preciso atentar para as peculiaridades locais, ser sensível às principais necessidades das pessoas, como saúde, educação e renda. Mais do que de um(a) gerente eficiente, Coreaú precisa de um(a) administrador(a) público(a) comprometido(a) com a redução das principais carências dos munícipes: a carência econômica, a carência de saúde, a carência de cultura...

Se a futura prefeita enfrentar satisfatoriamente os principais desafios, não estará plantando revolução, não estará instalando comunismo, nem estará se convertendo em objeto de adoração, mas estará decerto cumprindo seus deveres de prefeita e se credenciando para uma tranquila reeleição.


Francisco Eliton A. Meneses
Defensor Público

Trazer indústria é complicado, sobretudo se for pra escravizar nossa mão de obra. Mas, há maneiras das pequenas indústrias surgirem aqui mesmo, como no beneficiamento da produção advinda da agricultura familiar (que precisa ser potencializada, rompendo as amarras das técnicas precárias), no feitio de doces, conservas, poupas, artesanato, arte regional, tal como as peças de barro e madeira - capacitações podem repassar as técnicas aos nossos trabalhadores, e feiras e orientação para o acesso ao crédito podem facilitar; enfim, não faltam meios de fazer essa terra prosperar, restando somente uma única e simples coisa: vontade política. Veremos o quanto inovadora pode ser a prática em comparação ao discurso. O povo da Palma já se escaldou por demais!

Benedito Gomes Rodrigues
(Deste blogue)

sábado, 8 de dezembro de 2012

MÚSICA CEARENSE - GERALDO JÚNIOR

A música regional do jovem Geraldo Júnior, de Juazeiro do Norte, é uma mistura de ritmos, sempre com o toque, no sotaque e na batida, de sertão. Confira abaixo uma amostra:

PRO BEM-QUERER (IV)

Foi tu, menina,
Quem me fez um reboliço danado.
Foi tu, menina,
Que mudou minha vida um bocado.

Bem tu sabes:
O amor sem conflito,
O amor estático,
Inerte, restrito...
É falso.

Foi no embaraço,
Que aprendi contigo...
Aprendi de verdade,
Um viver-diferente.

Sem mero deslumbramento,
Aprendi a gostar do que tu és,
E não do que quero que sejas,
E aprendi a querer um mais...
Mais contigo de qualquer maneira.

Pois o avesso que contigo fiquei,
Propiciou-me uma retomada,
Perspectiva ampliada,
Dum bem-querer meu.

(Pintura de Armando Sendin)

VAI ESPERAR O QUE?

Um sopro bateu forte,
Certeiro, no coração:
Ímpeto contra a morte,
Pulsar de indignação.

Ante a desigualdade,
Injustiça, opressão:
Clamor pela liberdade,
Fraternidade, união.

Lanço já o meu grito,
Um som de convocação,
Tal zoada dum apito,
Incomoda, incita ação.

Pra largar o comodismo,
Tristeza, reclamação...
Pra que o pedantismo?
Vai lá, usa tua mão!

Planta tua iniciativa!
Seja sujeito da inovação!
E a forma mais efetiva
É unindo-se ao irmão.

Vai esperar o que?

ÉRIKA CRISTINO ANUNCIA OCUPANTES DE MAIS TRÊS PASTAS

A prefeita diplomada de Coreaú Érika Cristino anunciou, através de seu perfil no Facebook, a escolha de mais três secretários para as pastas de Ação Social, Cultura e Procuradoria Geral do Município. Confira abaixo:

Ação Social:
DANIELA ALBUQUERQUE TABOSA CRISTINO, professora, graduada em Letras pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), graduanda em Direito também pela UVA, com especializações em: Metodologia do Ensino Fundamental e Médio - UVA, Gestão Escolar - UDESC e Gestão e Avaliação da Educação Pública – Universidade Federal de Juiz de Fora. É professora concursada das redes estadual e municipal. Exerceu as funções de Diretora da Escola Estadual Huet Arruda em Moraújo, Secretária de Educação do Município de Coreaú, Coordenadora da 6ª CREDE – Sobral e atualmente é Diretora da Rede Estadual da EEFM Flora de Queiroz Teles em Coreaú.

Cultura: 
ANTONIO IVANILDO LOURENÇO, graduado em Estudos Sociais pela UVA, é designer de ambientes e estilista, e proprietário da Empresa Ivanildo Lourenço. Exerceu a função de Secretário de Ação Social do Município de Coreaú nas Administrações dos Prefeitos José Adson Albuquerque e de Bernardone Teles Pinto; foi Professor da Rede Municipal de Educação do Município de Coreaú e Diretor da Escola Municipal Santo Antonio, do Distrito de Araquém.

Procuradoria Geral do Município: 
JOSÉ MARDEN DE ALBUQUEQUE FONTENELE, advogado, graduado em Direito pela UVA, pós-graduado em Direito Eleitoral pela Faculdade Darcy Ribeiro, em Direito Público pelo Fórum - Centro de Estudos e Pesquisa, em Teresina-PI e mestrando em Ciências Jurídicas pela Universidade Autônoma de Lisboa – Portugal. Exerceu os cargos de Procurador Jurídico do Município de Moraújo no período de fevereiro a dezembro de 2008; atualmente exerce, desde abril de 2009, a função de Procurador Jurídico da Autarquia Municipal de Meio Ambiente – AMMA, no Município de Sobral além de ser advogado militante com escritório particular na cidade de Coreaú.

(Adaptação das informações disponibilizadas no referido perfil.)

DISCURSO AFINADO DA PREFEITA ÉRIKA CRISTINO E PERSPECTIVAS

Se discurso não basta, pelo menos já é um bom começo, pois pode transparecer as convicções da futura gestora, suas expectativas e compromissos. Ao ler as palavras transcritas da então diplomada Prefeita Érika Cristino (vide RM no Foco), deparei-me com algumas afirmações efetivamente de peso - animadoras, por sinal.

Dizendo-se aberta ao diálogo, para além dos partidarismos e interesses pessoais, afirmando com um tom de humildade a sua "pequenez", apontando as desigualdades (aberrantes) existentes em nossa terra, asseverando a incumbência duma postura "revolucionária" para dar conta da missão outorgada pelo povo, o qual muito espera; enfim, um discurso que já brilha ao descentrar-se e apresentar um projeto comum de desenvolvimento (tão adiado). Porquanto, congratulo-a.

Contudo, se onerosa é sua missão, que não conte por demais com os "correligionários", pelo menos uma grande fatia do bolo, pois dizer que o interesse de "todo mundo" é o bem de Coreaú é grande falácia (coisas ditas em tom conciliador). A esperança é de que, se há gente no meio da estória que não dá a mínima pros interesses coletivos, a postura hegemônica seja a de seu interesse (do povo). E conciliar a hegemonia dum projeto com as famigeradas demandas dos (ora necessários) conchavos é um desafio e tanto, que exige inteligência e esforço; que haja então.

Por ora, está tudo ainda no âmbito da expectativa de avanço.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

CIDADÃOS ORGANIZAM ABAIXO-ASSINADO EM PROL DO RACIONAMENTO DE ÁGUA EM ALCÂNTARAS

Em razão da seca desse ano, da avançada diminuição do nível de água do principal reservatório da cidade, das previsões de que as chuvas custem chegar, associado ao desperdício por parte da população, cidadãos de Alcântaras lançaram abaixo-assinado em prol do racionamento de água. Confira aqui.

SÓ PODE SER SURPRESA BOA

REUNIÃO DA APL

Sábado, 15 de dezembro tem reunião da APL na capital (EMEIF Maria Bezerra Quevedo). A Academia Palmense de Letras vai receber uma singela homenagem do Projeto Confraria de Leitura.

(BLOGUE COREAUSIARÁ)

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

MÚSICA CEARENSE: ACAUÃ ARAÚJO

Música regional do cearense, natural do Jaguaribe, Acauã Araújo, confira abaixo poesia cantada Embolar Embolando:

DO AMIGO..., DO COMPANHEIRO

Se me aspiras por amigo, 
Darei já minha condição:
Ora, sejas sincero comigo.
Disso nunca abrirei mão.

Mesmo na dor e agonia, 
Cobro a amarga verdade,
Porquanto a sua avaria 
Não é fruto de maldade. 

***
Para além do mero colega,
Pode ser um companheiro,
De luta e ousadia, 

Pra construir, em entrega, 
De justiça algum canteiro, 
Capinado dia a dia.

(Pintura de Antônio Bandeira)

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

ERGA A MÃO PRA MUDANÇA!

Se quiseres esperar do mundo,
Que do nada mude sozinho,
Ganhará vil desengano,
Certamente, em teu caminho;
Pois do nada, nada nasce,
A não ser que seja espinho
No deserto da inanição.

Erga já a tua mão!
E faça, por tua conta,
A mudança que tu queres
E assim estará pronta
A bandeira à tua vida,
Um sentido ao existir!

Do contrário,
É mero desengano.
É vazio porvir.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

COMENTÁRIO DE HÉLIO COSTA SOBRE O TEXTO DO BENEDITO GOMES “COREAÚ: QUE MUDANÇA?”

"Caro Benedito Gomes, venho por meio deste reforçar e apresentar algumas observações ao seu texto 'Coreaú: que mudança?'.

Benedito Gomes, realmente em termos políticos nas eleições deste ano, em ambas as candidaturas (majoritárias), não houve nenhuma mudança. As mesmas praticas politiqueiras como compra de votos e promessas de emprego (sendo estas as principais, não tirando a possibilidade de haverem outras formas de 'ludibriar' a sociedade coreauense) foram realizadas na última eleição. É triste, mas verdade.

É certo e inquestionável também, que não devemos desempenhar o papel de vidente e tentarmos dizer como a oposição, no qual ganhara as eleições, irá se comportar administrativamente em seu governo. Mas, contudo, temos a esperança de que possa haver algumas mudanças, e, caso ela se concretize, será uma grande vitória para os cidadãos de nossa cidade, visto que em governos anteriores não havia essa preocupação.

Com relação às praticas politiqueiras, não querendo aqui defendê-las, é quase que impossível na realidade política vivenciada por nós, algum candidato, seja ele para prefeito ou vereador, sem utilizá-las, consiga ser eleito. O que quero dizer com isso é que estas práticas já estão arraigadas em Coreaú, e que vai ser extremamente difícil exterminá-las.

Acredito Benedito Gomes, que para haver uma transformação positiva na forma como é feita à política coreauense, isto é, acabar com estas práticas, esta ideia de renovação, a princípio, não tem que partir dos candidatos à eleição, mas sim dos próprios eleitores do município. Pois senão vejamos: se um candidato não partilha deste modo arcaico de se fazer política, ele não consegue ser eleito. Este fato é explicito em Coreaú. Então, não há com base neste contexto, a possibilidade de fazer-se uma modificação do interno para o externo.

Contudo, em meu pensamento, existe a possibilidade hipotética de um candidato que não partilha de tais convicções politiqueiras chegar ao poder e fazer um trabalho de conscientização sócio-política que possa excluir da mente do munícipe estas convicções. Para isso, em nossa realidade atual, o candidato deverá, como ponto de partida, fazer uso destas abomináveis práticas, pois só assim ele conseguirá chegar a ser eleito e assim poderá dar inicio ao trabalho supracitado (isso não quer dizer 100% que ele quando assumir o cargo irá trabalhar contra o sistema politiqueiro, pois o mesmo em certo momento pode ser corrompido por este). Porém, é necessário frisar que esta não é uma prática correta. O certo como já é sabido por todos é o voto consciente, no entanto ao fazer uma análise da situação política de Coreaú, creio que essa tomada de consciência só vai ocorrer em longo prazo, quando a educação tiver melhorado e os frutos que estão sendo plantados hoje estiverem sendo colhidos, quando as pessoas forem mais independentes intelectual e financeiramente e não necessitarem mais vender seu voto.

Por fim, com a iniciativa popular e com um representante preocupado com nossa realidade é que poderemos derrubar esse sistema politiqueiro. Seja esta intervenção realizada do interno para o externo e vice e versa ou ambas ao mesmo tempo. Agora a pergunta é: quando isso irá ocorrer?"

(Hélio Costa, no AraquémNews)

Deste blogue: 
Sendo utópico pensar num dia em que se exclua definitivamente as "convicções" politiqueiras da população, também esperar de alguém que se eleja de forma corrupta uma ação não-corrupta é arriscado (ou ingenuidade). De toda forma, há de se continuar lançando alternativas de candidaturas limpas e propositivas e, conjuntamente, fazer pressão aos que lá estão, eleitos como foram, para que façam algo para melhorar as condições de vida da população (minimamente), acrescido da necessária militância junto à sociedade civil, fazendo por si só aquilo que o estado não fizer (com todas as limitações implicadas, claro!). Não dá pra afirmar se isso é o bastante, mas é o que se apresenta como saída para os que se dizem conscientes. Grato pela contribuição!