quinta-feira, 29 de novembro de 2012

ANTE O SERROTE, SONHOS SIMPLÓRIOS DE MANHÃS VINDOURAS

Ante o serrote verdinho,
Coberto de flores de ipê
Acordei logo cedinho
Pra mode ver o sol nascer.

...E o bafejo do beiju,
Co’a nata fresca à mesa;
Café feito com rapadura,
De fartura não falta certeza.

Em tal simplicidade,
Um misturar danado de cheiros,
O frescor da névoa matutina...
Eu e minha menina de sorrisos benfazejos.

Canta andorinha pra nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário